domingo, 28 de novembro de 2010

Fragmentos de novembro


A Clarice disse: “Tenho a impressão de que falo muito e que digo sempre as mesmas coisas.” Eu tenho a mesma impressão...

O sol queima mas não brilha. As pessoas são invisíveis. O vento não refresca. O mar é cinza. A música é barulho. O sorriso é amarelo. A razão reina. O mundo aplaude e o coração se despedaça.

Em um mar de incertezas, afundo-me em solidão.

Agarrar-se às pequenas coisas é uma forma inteligente de fugir das que mais importam.  Porque as que mais importam são muito subjetivas e lidar com a subjetividade é um grande desafio.

Senti-me livre quando minha felicidade tornou-se independente.

Liberdade é uma coisa que só existe no mundo da fantasia. Porque no íntimo todos querem estar presos a alguém.

A emoção é a razão bêbada.

O ser humano é tão complicado que às vezes até entendo porque alguns deles dão tanta importância ao 'ter'. Afinal, é impossível se decepcionar com uma bolsa da Louis Vuitton!

O grande problema é que sempre sofro por medo de sofrer... E assim vou vivendo entre ausências e excessos. Companhia e solidão. Entrega e fuga. Alegrias e tristezas... Procuro sempre uma certeza, uma verdade, um porto seguro. Acho que é tudo de que preciso: um porto seguro. Mas será que existe? Ou estou à procura de algo utópico?... E será que o que preciso é mesmo de segurança? Se tivesse as respostas não faria as perguntas...

Mas me resta uma certeza: Pode-se comprar tudo, menos o essencial!


domingo, 22 de agosto de 2010

Fome d'alma


Minha alma tem fome.
E fome d’alma
não se mata com carne.

Minha alma tem fome,
de palavras bonitas
e pensamentos utópicos.

Minha alma tem fome.
De sonho, amor e fantasia.
Porque corpo não ama, deseja.
Somente a alma conhece o amor.

Minha alma tem fome.
Das tardes a viajar em teus olhos,
do feitiço de tuas palavras,
do aprendizado de teu mundo.

Minha alma tem fome e, só não morre,
porque se alimenta das lembranças,
dos dias em que o teu amor,
a deixou em estado de graça.

sábado, 29 de maio de 2010

Despedida

E chega a hora de partir. Imaginei que fosse fácil - tipo arrumar as malas e não olhar pra trás. Não é. Foram anos muito bem vividos. Fatos inesperados e muitos outros bem planejados.
Como a vida nos surpreende! Aqui entrei tão jovem, estudante e mãe e, hoje, saio me sentindo, de fato, uma mulher. Mulher, profissional e mãe. Lembro dos meus sonhos e até das metas estrategicamente escritas (hábito que guardo até hoje), do meu otimismo e também das minhas infantilidades (decorrentes da imaturidade). Do meu inconformismo algumas vezes infundado. Mas também da minha alegria e do desejo de fazer do dia-a-dia algo melhor. Da força com que me impunha na realização dos projetos. Fico pensando onde encontrei tanta força... Somente Deus pode explicar.
Lembro dos poucos anos que pude ser inteiramente mãe e dona-de-casa, da minha iniciação na cozinha, das conversas com as vizinhas e da construção de sólidas amizades. Da experiência como síndica, da reforma no prédio, das brigas nas reuniões de condomínio. Das famílias que por aqui passaram, dos problemas que algumas nos causaram e das boas lembranças que muitas deixaram.
Festa de formatura, aprovação em concurso, separação, promoção, realização! ... Alguns quilos e rugas e até caprichos estéticos...
Não sou mais aquela jovem que adentrou esta porta como se entrasse num palacete, deliciando-se com as primeiras gotas do seu suor. Não sou mais aquela mãe devorando livros e revistas em busca das melhores formas de educar e criar um filho. Não sou mais aquela jovem estudante frustrada porque já quase no final do curso que escolhera para exercer, não via perspectivas no mercado de trabalho. Também não sou mais a ‘esposinha’ perfeccionista que vivia em prol da família de comercial de margarina. Não sou mais aquela ser extremamente emocional, que muitas vezes falava e agia sem pensar. Mas ainda sou tanto do que fui...
Olho pros objetos, pras paredes, pras cores. Tudo está impregnado de lembranças, de vida, de história. E ao contrário do que imaginei, não é fácil partir. Vejo pedacinhos de mim em cada detalhe... levo comigo muitas lembranças e aprendizado, muito aprendizado (nossa razão maior de existência).
Tenho procurado levar apenas o que importa. Muitas coisas vão ficar. Pedacinhos de cartas, cartões e agendas, provas da universidade (todas organizadas por período), juras de amor eterno, recortes de jornal, livros que nunca mais serão lidos, objetos que não tem mais utilidade ou significado... Tudo vai se acumulando no lixo... somente o importante restará na memória.
Nada de pressa. Pacientemente analiso, seleciono, guardo ou descarto. E simultaneamente um importante período da minha vida vai sendo projetado, como se fosse um filme.
É um misto de prazer, saudade, alegria, dor e esperança. Parece que a vida está trocando de roupa.
Porque o lar é também nosso reflexo, parte do que somos, gostamos, valorizamos.
Meu novo lar com certeza será diferente, porque não sou mais a mesma. É como um quadro que começarei a pintar. Vou construir meu novo cenário. Cada pincelada refletirá um pouco de mim, um pouco do que desejo...
Espero realizar mais uma bela pintura! Assim como esta, que agora ficará exposta no museu da minha alma.

domingo, 11 de abril de 2010

A azeda procura do doce

Quando decidi procurar um novo lar confesso que não imaginei o quão seria árdua e estressante tal busca.
Claro, logo eu - a menina das expectativas exageradas, imaginei olhar meia dúzia de ‘aps’ e ainda ficar indecisa sobre qual seria o melhor... Ilusão... Nem um pouco doce... Muito pelo contrário.
Pois é... Não foi o que aconteceu, aliás, o que está acontecendo...
São tantos critérios importantes há considerar na escolha. Sem falar que todos devem ser encontrados simultaneamente no objeto almejado.
Porque claro que encontrei aquele do preço ótimo, mas da localização péssima. Ou aquele da área de lazer ideal, mas do apartamento escuro e mal projetado. Ou ainda o perfeitinho mas com a posição norte.. Deus me livre de calor!
Também vi um com preço bom e apartamento legal, porém no primeiro andar, olhando para piscina, e sujeita a todo o incômodo de quem mora perto da área de lazer. Outro com o preço  aceitável, andar alto e boa posição, porém numa principal de barulho infernal. Cheguei até a encontrar o quase perfeito, mas o valor não se encaixava no orçamento...aiai

À vezes me dá vontade de gritar... Vejo que o país tem muito ainda a se desenvolver neste setor... Porque existe um déficit enorme !! Como pode ser tão difícil encontrar um bom apartamento?

E estes são somente os fatores racionais, objetivos, claros! Boa localização, boa posição, tamanho razoável, bom estado de conservação e uma área de lazer legal. Ponto. E é difícil?  Muito!!


E quando nos voltamos para os fatores emocionais? subjetivos?
Porque estes têm muito mais peso na compra de um bem! São os sonhos que nos fazem fazer as escolhas que fazemos!
Exemplos: Tem lugar que você entra e é carregado de maus fluidos sabe... Não sei porque, mas tem lugar que é triste mesmo, que você não se sente bem e não quer ficar... Quem dirá morar!
Claro que já entro visualizando o futuro. rsrs! Olho para piscina e vejo o Matheus super feliz brincando com os amigos. No salão de festas os familiares e amigos a festejar.Verifico se varanda cabe uma mesinha para tomar aquele vinho com as amigas. A sala tem que ter espaço suficiente para um jantarzinho legal. Na cozinha não consigo me visualizar cozinhando (kkkkkk) Mas ela tem que ser clara e arejada. Meu quarto também tem que ser agradável para leitura e minhas adoráveis horas escrevendo. Dois quartos já seriam aceitáveis, embora eu busque um terceiro para a Natália (rssrs). Claro! Preciso pensar na minha filhinha, mesmo que ela ainda não exista. Oww... já vejo o quartinho todo rosinha! aiaiai... Enfim... Difícil encontrar esse algo que se encaixe nos meus sonhos, nos meus íntimos projetos de vida.

Pois mais que mudar de apartamento, estarei de alguma forma mudando de vida! Realizando um sonho e iniciando novos projetos. O significado disso transcende o conforto ou o status... É mudança, esperança! Esperança que o lugar traga algo novo, modifique a rotina e me faça ainda mais feliz!!
É também deixar algumas lembranças, não mais necessárias, para trás.
Um lugar para definitivamente RECOMEÇAR!
VIVA A MUDANÇA !! E toda a esperança nela imbuída !!

terça-feira, 2 de março de 2010

Será sempre um sonho!

Tantos carnavais fiquei a sonhar com aquele dia, em que pudesse envolver-me em tamanha magia e cair na mais fantástica e alegre folia!!
Era algo meio irreal pra mim... parecia ficção... coisa de televisão!
Enfim... O tão esperado e atípico dia chegou!
Maquiagem, banho, pernas para o ar pra descansar... rsrs... liga pro táxi, come algo leve, suco de fruta, purpurina, perfume, biquíni, máquina, doleira, dinheiro, redbull... aiaiai... é um dia especial!! Não podemos esquecer de nada!
E tudo foi breve, breve como estes sonhos que a gente acorda e tenta voltar a dormir para continuar... breve como um beijo apaixonado onde as horas parecem minutos... breve como um encontro especial com alguém que jamais voltaremos a rever. Breve...
A batida do coração acompanhava o ritmo da bateria. As pernas cansadas tão dispostas a bailar! Os olhos brilhavam ao encontro da multidão encantada. A pele quente transpirava descomunalmente. E o sonho se consolidou como sonho. Algo que jamais será real... Eternamente encanto... porque foi bom demais para ser verdade.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

meu ano só começa em março!



Tanto tempo sem escrever... ausência de idéias? não! Talvez excesso de idéias combinadas com ausência de tempo... tempo para refletir, tempo para escrever e, em alguns momentos, tempo para viver!
Dezembro de muito trabalho e importantes decisões. Dezembro para semear, semear e semear.
Em janeiro encontro o ócio que a princípio me confunde... e agora? confusão de idéias, retrospectivas, novos planos, novas metas, início de mais um capítulo...
Lembrei dos desejos e metas para o ano que terminou... eram diferentes. Foram muitas as conquistas, algumas mudanças de foco, desistências, enganos, vitórias ... enfim... eram diferentes!
E agora? Alguns velhos desejos, muitos outros sonhos, metas que estão sob o meu controle e outras que fogem totalmente...  UM ANO NOVO!
Depois do susto do ócio, vem o que de melhor as férias podem nos proporcionar – viagens!
Descanso, crescimento, alegria, magia... Em Buenos Aires troquei a roupa da alma !!! E voltei renovada...
De volta à labuta... mas com a cabeça no carnaval... meu ano só começa em março!... e até lá vou acumulando os planos, as idéias, as preocupações e as crises existenciais... só em março...
Mas não os sonhos... parte destes posso vivenciá-los neste momento que elegemos para nos despir da hipocrisia, do peso e da chatice de sermos tão sérios, tão estressados, tão manipulados... enfim, dias que apenas me preocuparei em ser feliz, em dançar como se ninguém estivesse olhando, em descobrir lindos lugares... dias que ficarei mais leve e mais livre... Vou vestir a fantasia da esperança enfeitada de paz e alegria e vou cair nesta folia! O Carnaval! E o meu carnaval será verde e rosa!! O verde da Esperança e o rosa do Amor... propulsores do meu entusiasmo!!!