terça-feira, 9 de junho de 2015

Exame periódico de saúde ocupacional

Exame periódico de saúde ocupacional é uma coisa deprimente pra caramba... Sei lá... Enquanto você espera e responde aquelas mesmas perguntinhas sacanas de todo ano, vai passando um turbilhão de coisas na sua cabeça. Acho que se você não pensasse muito ou mesmo não pensasse em nada, tudo ficaria mais fácil... 
É meio contraditório pensar assim... mas se você pensar bem, pensar é uma burrice!  Você acaba enxergando umas coisas que não pode mudar ou o que é pior, não tem coragem de mudar! Bom é não enxergar certas coisas... Ter sempre aquela estupidez  marota de achar que está tudo muito bacana e tal, que você é valorizado pelo ser humano que é ou pelo menos que você é visto como um ser humano... Por mais que você dê o máximo de você, nunca, mas nunca mesmo, será suficiente... Porque as 'pessoas' vão sempre te julgar pelo que eles 'esperam' de você, pelo que eles consideram correto... Você sempre vai estar na língua amarga de alguém e o que é pior... A maioria nem te enxerga como gente. 
Voltando à sala de espera e tudo. Finalmente você entra e vão checar o quão és resistente... E você irá responder umas perguntas idiotas do tipo: você faz uso de alguma droga ilegal? [Ow mané, você acha que se eu fizesse eu iria te contar?] Você bebe? Fuma? Sente vontade de sumir? [essa é a melhor! - quem não sente de vez em quando ow minha senhora?]
Vou te falar: é deprimente pra caralho  aquilo lá... 
Ai no meio da entrevista de perguntas inéditas repetidas todos os anos, a doutora olha pra você com um olhar curioso e diz: 
_ você está fazendo alguma atividade de relaxamento?
_ não. Adoraria, mas não tenho tempo, pois já faço uma outra atividade física. Por que?
_ estou te achando mais tranqüila, relaxada... 
_ ah, é que desde o ano passado eu resolvi me esforçar pra ter uma vida de verdade, pra ter a minha vida. Preocupar-me menos com a opinião dos outros e principalmente, não querer estar sempre no topo. Continuo fazendo meu trabalho da melhor forma possível, mas sem competições. A minha competição agora se chama: viver com equilíbrio! E se for pra desequilibrar que seja pro lado da diversão, do bem-estar, do ser feliz! 
_ que bom. Você está certa. 
[...]
Não posso dizer que aquilo me deixou menos deprimida... Aquele troço é deprimente mesmo. 
Saí apressada, doida pra ligar o som do carro, ouvir uma música legal e parar de pensar em tudo que aquela situação sempre me faz pensar... Pensar às vezes deixa a gente triste pra caramba... Acho que é por isso que a gente trabalha tanto... Pra não ter tempo nem energia pra pensar... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário